CASO CLÍNICO | Tratamento para espondilolistese

Paciente satisfeito após quase 20 anos de sofrimento


O caso que apresento hoje é um perfeito exemplo de como é possível encontrar o tratamento adequado para o seu problema da coluna vertebral, não importa o quão grave ele seja ou quanto tempo tenha se passado.


O paciente tem cerca de 40 anos e veio de Roraima — isso mesmo, lá do norte do Brasil — porque há 18 anos sofria com dores excruciantes na região lombar, com importante irradiação para os membros inferiores, acrescido de perda de força em ambas as pernas. Durante todos estes anos, ele nunca perdeu a esperança e buscou incessantemente opções terapêuticas para o seu caso, porém sem sucesso.


Não porque os procedimentos que tentou (como rizotomia e fisioterapia) não fossem bons, mas pelo que sempre repito aqui neste espaço: cada situação deve ser avaliada em sua totalidade, o médico deve investigar cada quadro que afeta o paciente para, então, decidir a ação ou o conjunto de ações de tratamentos mais adequadas ao paciente.


Em nosso atendimento para o diagnóstico, eu e minha equipe identificamos um quadro severo de Espondilolistese em L5/S1 (escorregamento de uma vértebra sobre outra), devido à lesão da “Pars Interarticularis” — estrutura que liga uma vértebra à outra — e progressiva destruição do disco, com perda total da altura discal. O quadro também causava compressão de estruturas nervosas importantes da perna direita. Como resultado, o paciente estava habituado a conviver com essa dor insuportável, além de ter toda a sua qualidade de vida comprometida.


Cirurgia de Artrodese


Após avaliar cuidadosamente a situação, indicamos a cirurgia com o objetivo de: devolver a vértebra ao local correto, estabilizar a coluna, substituir o disco intervertebral doente, descomprimir os nervos e corrigir a estrutura óssea danificada.


Iniciamos o procedimento de Artrodese por via anterior (abertura do abdômen), para descompressão medular com retirada total do disco e colocação de implante tipo Cage Alif (Anterior Lumbar Interbody Fusion) com trava, para ganho de altura discal e melhora do balanço sagital.


Posteriormente, mas dentro do mesmo tempo cirúrgico, o paciente foi virado para a posição de bruços, onde foi realizado fixação com parafusos pediculares, correção do escorregamento e descompressão posterior; além de retirada de enxerto ósseo para auxiliar no processo de consolidação óssea, que finalmente trará a cura para o paciente, quando tal processo estiver finalizado.




O resultado foi excelente, o paciente segue evoluindo bem no pós-operatório, já sem as dores que prejudicavam tanto sua vida e com a coluna estabilizada.


Agradeço a confiança que depositou em mim e minha equipe, ao ponto de promover um deslocamento tão longo, e fico imensamente feliz em ter colaborado para sua melhora.


Abraços,

Dr. André Evaristo Marcondes

Atendimento presencial e à distância

São Paulo, 23 de abril de 2021