CASO CLÍNICO | Tratamento para Hérnia de Disco Extrusa e Mielopatia

Este caso que compartilho é extremamente delicado, complexo e ressalta a importância de procurar um médico o quanto antes, para evitar o agravamento e acúmulo de patologias da coluna vertebral.


Este paciente era portador de Hérnia de Disco Extrusa em C3/C4 + C4/C5 de sua coluna cervical. Isso significa que o núcleo dos discos intervertebrais afetados já haviam rompido as estruturas externas (ânulo fibroso) e comprimiam a medula espinhal. O paciente também apresentava importante calcificação do ligamento longitudinal posterior, que combinado com a hérnia elevou a compressão medular ao status de Mielopatia. Ela ocorre quando a compressão é tão grave que “esmaga” a artéria espinhal anterior, principal responsável pela nutrição da medula, acarretando extensa lesão medular por infarto. Ou seja, os neurônios do local morreram por falta de oxigênio.


Esse tipo de lesão pode ser vista nos exames de Ressonância Magnética de pacientes com compressão medular, e é evidenciada por uma mancha característica.


Todo este contexto alterou a qualidade de vida do paciente, que enfrentava variados sintomas, entre os quais: dor cervical severa, com irradiação para membros superiores direito e esquerdo; graves sintomas neurológicos, como perda de coordenação motora, alteração de marcha, tremor de extremidade, alteração de sensibilidade em membros superiores e inferiores; alterações genitourinárias; além de alteração na marcha e outros sintomas da patologia.


Após análise detalhada de cada aspecto deste quadro, decidimos realizar uma cirurgia para corpectomia cervical, onde retiramos os discos C3/C4, C4/C5 e fizemos ressecção completa do corpo vertebral de C4, promovendo severa descompressão da artéria espinhal anterior e restabelecendo o fluxo medular normal.



Vale destacar que este procedimento é muito delicado, com altas taxas de complicação no intraoperatório, sobretudo pela fragilidade das estruturas e, neste caso em especial, agravado pelo histórico de saúde do paciente. Mas eu e minha equipe estávamos preparados e tudo correu bem. No pós-operatório imediato já observamos melhora do padrão neurológico, o paciente já recebeu alta e se recupera com sucesso em ambiente domiciliar.


Sou muito grato pelas oportunidades que tenho de fazer a diferença na vida dos meus pacientes. Agradeço à minha equipe pelo apoio excepcional e ao paciente, pela confiança depositada em mim. Abraços,


Dr. André Evaristo Marcondes

Atendimento presencial e à distância

São Paulo, 08 de Julho de 2021