CASO CLÍNICO | Ossificação do Ligamento Longitudinal Posterior

Conheça mais um interessantíssimo desafio cirúrgico


Este é um caso de um paciente portador de discopatia cervical de múltiplos níveis, caracterizada por severo desgaste dos discos intervertebrais com compressão medular ao nível do corpo; associado à alteração de maior gravidade conhecida como Ossificação do Ligamento Longitudinal Posterior. Me acompanhe nessa leitura!


Neste caso, o ligamento que percorre a região posterior do corpo sofre calcificação e ossificação passando a ser um fator a mais de compressão sobre a medula espinhal, acarretando uma gravidade imensamente maior do caso, além de aumentar em muito a dificuldade técnica para realização do procedimento.

Sintomas

O paciente apresentava quadro de cervicalgia (dor cervical) crônica há muitos anos, com piora progressiva da intensidade da dor, manifestando de maneira mais recente irradiação da dor para membros superiores com importante alteração de marcha e outros sintomas neurológicos mais sutis: perda parcial da sensibilidade em membros superiores e inferiores, alteração da coordenação motora para movimentos finos, diminuição parcial da força motora de pega nas mãos e tremor de extremidade, apresentando um quadro extremamente dramático no momento em que foi operado.



Como foi o procedimento cirúrgico

Como o paciente apresentava compressão não só discal, mas compressão óssea pela ossificação do ligamento longitudinal posterior, fez-se necessário procedimento extremamente agressivo e delicado conhecido como corpectomia, onde toda a vértebra é ressecada e substituída por uma prótese capaz de fazer distração como vista na imagem acima, a qual substituirá o corpo intervertebral permitindo a ossificação, ou seja, a consolidação da coluna cervical em um bloco ósseo rígido, trazendo assim alívio importante do quadro de dor e resolução dos sintomas neurológicos, tendo em vista a realização de agressiva descompressão medular.

Reflexões finais

Após 15 dias do procedimento cirúrgico, o paciente já mostra evolução no pós-operatório evidenciando resolução total do quadro de disfunção em membros superiores e com recuperação expressiva do quadro de marcha.

Eu e minha equipe já temos a certeza de resolução total do quadro neurológico nos próximos 90 dias o que nos traz imensa alegria.

Agradeço a Deus pela expertise e capacidade de colaborar para restaurar a saúde de pessoas tão especiais e que ainda tem uma vida toda pela frente.

Qual o problema que a sua coluna apresenta hoje? Fale comigo!

Abraços,

Dr. André Evaristo Marcondes

Atendimento presencial e à distância

São Paulo, 01 de dezembro de 2021