CASO CLÍNICO | neuromodulação - último estágio

O caso clínico que apresento aqui foi um grande desafio durante muitos anos para mim e minha equipe. Te convido a me acompanhar nessa leitura!


A situação dessa paciente é extremamente complexa, que mostra como as patologias de coluna crônica muitas vezes necessitam de intervenções contínuas durante muitos anos, sendo fundamental o acompanhamento médico a longo prazo e a tomada de decisões nos momentos oportunos.


Entenda este caso

Esta paciente teve a primeira cirurgia realizada há 10 anos para realização de artrodese no segmento L4-L5, evoluindo com sobrecarga de segmentos adjacentes à artrodese e passando a apresentar hérnia de disco, tanto no segmento de L3-L4 como nos segmentos de L5-S1, sendo realizado nova cirurgia para retirada do implante antigo e fixação posterior de L3-S1; associado à abordagem por via anterior para retirada completa do disco de L3-L4 e L5-S1 e substituição do mesmo por um cage tipo ALIF (suporte mecânico usado para estabilizar/unir as vértebras) para estabilização desse segmento e confecção de lordose.


Desta forma paciente terminou com abordagem cirúrgica no segmento de L3 a S1, apresentando melhora importante do quadro álgico e, em especial, melhora significativa da perda de força em membros inferiores que vinha apresentando antes da segunda cirurgia.


No entanto, paciente manteve quadro de dor residual, tanto em coluna lombar como em membro inferior esquerdo, tendo então o diagnóstico definitivo de dor crônica complexa e intratável por desequilíbrio neuronal e síndrome pós-laminectomia, evoluindo para um tipo de dor característica que não responde mais a medicação e medidas habituais, além de não ter mais indicação de abordagem em coluna por apresentar a estrutura estável e bem reconstruída.


Processo cirúrgico - o uso da neuromodulação

Para este perfil de paciente, a solução final é implantação de neuromodulador, conforme evidenciado nas imagens, que consiste em um "chip" colocado de forma epidural (junto ao saco dural e a medula) para promover neuromodulação, ou seja, impulsos elétricos coordenados por um pequeno computador implantado na região da nádega que irá bloquear os impulsos dolorosos e promover outras funções de programação permitindo alívio sintomático total e devolvendo a qualidade de vida a paciente em questão.


Ressalto que a neuromodulação hoje consiste no tratamento de escolha para pacientes com dor crônica em múltiplas regiões, podemos ser instalado na coluna cervical, torácica, lombar ou sacral, com nível A de evidência no manejo da dor crônica neste perfil de pacientes.



Tecnologia a serviço de uma vida sem dor

Caso extremamente gratificante e complexo, de paciente acompanhada há muitos anos e sempre sendo efetuado o que existe de mais moderno para cada fase de seu tratamento, chegando ao final com um resultado excelente e devolvendo qualidade para mais uma pessoa.


Agradeço a todos envolvidos no tratamento da dor dessa paciente, sobretudo pelo excelente resultado que vimos ao final. Saber que colaboramos para devolver o mínimo de qualidade de vida a alguém é realmente muito gratificante.


Se você apresenta dores na coluna, não desista de procurar um tratamento adequado ao seu caso. Nunca é tarde para receber a ajuda que precisa.


Abraços,


Dr. André Evaristo Marcondes

Atendimento presencial e à distância

São Paulo, 24 de março de 2022