CASO CLÍNICO | Estabilização cervical híbrida individualizada para o paciente

Na prática clínica alguns casos superam outros em nível de dificuldade técnica e intelectual, e este é um destes casos. Gostaria de me acompanhar nesta leitura?


Entenda este caso

Este paciente apresentava 4 hérnias de disco (explosão do disco intervertebral com extravasamento do seu conteúdo acarretando compressão medular), no entanto, essas hérnias migravam para região posterior do corpo intervertebral, e por já estarem presentes há muito tempo no organismo do paciente, e sem o tratamento adequado, acabaram evoluindo para calcificação atrás do corpo vertebral, causando não só uma compressão convencional pela hérnia de disco com uma compressão ainda mais agressiva pela calcificação do fragmento herniado e calcificação do ligamento longitudinal posterior.


A patologia acabou desencadeando severa compressão medular com rápida degeneração do sistema neurológico, com consequente alteração de marcha e equilíbrio, perda de sensibilidade em níveis superiores e perda de força e coordenação em membro superior direito, com quadro extremamente dramático e de rápida evolução. Em outras palavras, com paciente evoluindo para tetraplegia (perda de movimento de membros superiores e inferiores) de rápida evolução e irreversível após determinado grau de lesão neurológica.



O processo cirúrgico

Tendo em vista a gravidade da doença e acima de tudo a extensão da mesma por apresentar acometimento em 4 níveis cervicais, o desafio para abordagem cirúrgica se torna ainda maior e mais relevante; muitas vezes patologias tão intensas são aconselhadas a serem abordadas por via posterior com fixação e descompressão pela região de trás do pescoço, por se tratarem de procedimentos de mais simples evolução e com resultados satisfatórios na melhora do padrão neurológico. No entanto, tais procedimentos para abordagem por via posterior em coluna cervical definitivamente não trazem alívio importante dos sintomas álgicos, muitas vezes inclusive resolvendo a questão neurológica, mas piorando o quadro de dor desse tipo de paciente.


Para tal situação, foi elaborada uma solução personalizada e inédita, que incluiu corpectomia de C5 (retirada de todo corpo vertebral de C5 com consequente retirada dos fragmentos herniados calcificados e da calcificação do ligamento longitudinal posterior), com o espaço criado pela retirada do corpo substituído por prótese de corpectomia de alta tecnologia e capaz de realizar distração e reconstruindo assim a lordose cervical do paciente. Este segmento foi estabilizado com placa cervical e parafusos corticais, que devem manter a região estável até a consolidação deste segmento de C4 a C6.


Já os outros segmentos acometidos pela patologia, ou seja, C3-C4 e C6-C7, foi decidido por discectomia total (retirada de todo disco herniado) e substituição por artroplastia de 3ª geração tipo M6-C que constituem um verdadeiro disco artificial e desta forma permitindo a manutenção do movimento desses segmentos.


Desta maneira, foi realizado substituição por discos de 3ª geração móveis nos segmentos C3-C4 e C6-C7, com artrodese nos segmentos de C4 a C6, sendo feita desta maneira uma estabilização dita híbrida, que mistura fusão com manutenção de movimento, permitindo assim o melhor resultado possível e individualizado para o paciente operado.


O resultado - em busca de uma vida melhor

O paciente hoje com cerca de 10 dias de pós-operatório, já com recuperação total do equilíbrio e desaparecimento completo da perda de sensibilidade e recuperação quase total da força muscular, com sistema de estabilização reconstruindo a lordose (alinhamento) cervical normal o que trará importante melhora do quadro álgico tanto a curto como a longo prazo, além da manutenção de movimento nos segmentos possíveis de serem realizados permitindo desta maneira melhor funcionabilidade possível para a coluna cervical deste paciente.


Obviamente todos os casos operados por nossa equipe são complexos e merecem atenção distinta, no entanto alguns casos específicos como este, trazem desafio suplementar necessitando de extrema habilidade técnica e enorme conhecimento teórico das estruturas de abordagem para permitir um final tão satisfatório quanto o apresentado acima.

Se você apresenta dores na coluna, não desista de procurar um tratamento adequado ao seu caso. Nunca é tarde para receber a ajuda que precisa.

Abraços,


Dr. André Evaristo Marcondes

Atendimento presencial e à distância

São Paulo, 25 de maio de 2022