CASO CLÍNICO | Artroplastia Lombar L4-L5-S1

Apresento hoje um caso extremamente rotineiro na nossa prática clínica e já bem conhecido pelos seguidores de longa data. Você me acompanha nesta leitura?


Conheça o caso

Um paciente jovem vinha apresentando hérnia de disco extrusa nos segmentos L4-L5, L5-S1, onde o disco (amortecedor) intervertebral deixou de funcionar causando compressão das estruturas neurológicas ao redor, o que desencadeou quadro de dor lombar intensa além de irradiação com características de compressão do nervo ciático para o membro inferior direito, associado a episódios transitórios, mas de longa duração, de formigamento na perna direita, além de instantes fugazes de perda súbita de força muscular no membro inferior direito.


Foi buscada todas as possibilidades de tratamento conservador possível, processo não cirúrgico, compreendendo desde o uso de medicações variadas com diferentes dosagens, passando por programas de fisioterapia RPG e acupuntura. Também foi tentado exaustivamente fortalecimento muscular através de atividade física de baixo impacto e, finalmente, não respondendo a duas tentativas seriadas de infiltração em coluna para alívio dos sintomas.



O Processo cirúrgico - Artroplastia ou prótese de disco

Tendo em vista a gravidade do quadro e da compressão medular, além da presença de lesão neurológica progressiva e, em especial, do quadro de dor crônica intratável com medidas habituais, foi decidido tratamento por via de acesso anterior (transabdominal) com retirada de todo disco Intervertebral, acarretando assim descompressão da medula e das raízes, além de estabilização do segmento com artroplastia (prótese de disco) de 3ª geração.


Tal sistema de estabilização consiste no uso de um disco intervertebral artificial, possuindo membrana externa fibrosa e núcleo interno "gelatinoso" para absorção de impacto e restabelecendo a anatomia normal do segmento operado, além de manter a mobilidade normal do paciente, permitindo resolução total do quadro álgico sem déficit de função ou de mobilidade do segmento lombar.


Na primeira imagem vemos o posicionamento de frente e perfil novo do paciente, com alinhamento excelente na visão em AP (Ântero-Posterior) e recuperação da lordose (curvatura lombar) na posição em perfil. Nas demais imagens vemos os múltiplos tipos de movimento que o implante é capaz de realizar, garantindo normal e total mobilidade da coluna lombar do paciente.


O resultado - uma vida sem dor

Após 60 dias de pós-operatório o paciente já retornou às atividades profissionais em seu escritório e está retornando aos poucos a rotina de atividade física, hoje realizando programa de reabilitação fisioterápico e fortalecimento muscular através de hidroginástica e natação, devendo estar totalmente recuperado nos próximos 30 dias e, assim, podendo voltar às atividades físicas de maior impacto em breve.


Casos como esse, apesar de fazer parte da nossa rotina diária, sempre nos encorajam e nos enchem de orgulho, em primeiro lugar pela absurda melhora da qualidade de vida e da funcionalidade dos pacientes, mas acima de tudo por sermos uma das equipes que desenvolveu e estimulou a boa utilização das artroplastias de 3ª geração em nosso país.


Acima de tudo agradeço a Deus pela capacidade dada a mim e a minha equipe pelo suporte durante todos esses anos de desenvolvimento e aprimoramento de técnicas extremamente modernas e eficazes como apresentada neste caso clínico.


Abraços,


Dr. André Evaristo Marcondes

Atendimento presencial e à distância

São Paulo, 22 de fevereiro de 2022