Hérnia de disco pode ser evitada nos primeiros sintomas

Segundo o IBGE, 5,4 milhões de pessoas sofrem com a doença no país



A dor é o principal sintoma de uma hérnia de disco. Qualquer pessoa que já tenha sentido forte dor nas costas, em algum momento pensou nela. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 5,4 milhões de pessoas sofrem com a doença, sendo ela o principal problema ligado à coluna. No entanto, de acordo com o Dr. André Evaristo, especialista em cirurgia de coluna e membro do corpo clínico do Hospital Sírio-Libanês, até se tornar uma hérnia de disco a doença passa por estágios e neles sua evolução pode ser evitada.


“Existem diversos mitos que envolvem essa patologia, uma delas é a necessidade cirúrgica. Na verdade, a maioria dos casos pode ser absorvida com tratamento conservador. Agora, se for preciso uma cirurgia, muitas vezes as técnicas minimamente invasivas estão indicadas e a recuperação é muito mais rápida”, explica o especialista.


De acordo com Evaristo, a hérnia de disco é uma estrutura que rompeu e deixou de funcionar, ou seja, o disco serve como um amortecedor, semelhante a um "chiclete". Trata-se de uma membrana dura, com um núcleo claro e gelatinoso, que promove o amortecimento de impacto entre os ossos da coluna: “A hérnia de disco é quando essa estrutura ou "chiclete" se rompe e o núcleo gelatinoso vaza, causando compressão das estruturas neurológicas que estão atrás do disco. Ou seja, comprimindo a medula e os nervos”.


Entretanto, antes de um estágio de extrema gravidade, a doença avisa que está chegando e o abaulamento discal e a protusão discal são as primeiras fases características da doença. Os sintomas surgem quando essa protusão do disco pressiona a raiz de algum nervo ou a própria medula espinhal, levando a dor na região acometida. Além de outros sintomas típicos de compressão nervosa, como alterações na sensibilidade, dormência, formigamento e até perda de força no membro afetado.


“Muita gente, que está nesse estágio da doença, recebe a informação que tem uma hérnia de disco. Porém, muitas vezes, estamos diante de uma fase em que a pessoa poderia ter um recuperação excelente com tratamentos mais simples como medicamentos, fisioterapia, RPG e/ou reforço muscular”, diz o médico.


As hérnias de disco são mais comuns em pessoas que precisam levantar objetos pesados frequentemente, que lidam com traumatismos na coluna, que realizam esforços repetitivos sem orientação ou que sofrem alguma inflamação ou infecção na coluna. No entanto, um dos principais fatores para o desenvolvimento da doença é o genético, sendo os 40 anos a idade de maior recorrência. Depois disso, porém raro, é possível evoluir para a ruptura dos discos, comprometendo seriamente as estruturas nervosas.


Para o diagnóstico correto de cada estágio, é necessária uma avaliação clínica e radiológica do paciente, definindo sintomas, localização da patologia e fase de degeneração em que ela se encontra.


Veja 4 dicas de como prevenir o problema:


- Fazer exercícios de alongamento e fortalecimento dos músculos do abdome;

- Manter a postura correta, principalmente ao levantar objetos pesados;

- Ao pegar objetos no chão, agachar com os joelhos dobrados para distribuir o peso, impedindo que ele seja aplicado em toda coluna vertebral;

- Ter atenção a uma postura adequada ao dormir, ficar sentado ou de pé por muito tempo.