CASO CLÍNICO: Discectomia Percutânea Lombar em Paciente Jovem

Esse é um caso que considero extremamente interessante e de um procedimento que há bastante tempo não discutimos aqui nos meus canais. Ele é conhecido como Discectomia Percutânea Lombar, onde uma microcânula, pequeno tubo, com mais ou menos um milímetro de espessura, é introduzida com anestesia local e sedação, como mostrado nas duas primeiras fotos, com o posicionamento adequado da cânula no interior do disco adoecido.

Dr. André Evaristo Marcondes

A partir disso, é assegurado o bom posicionamento das ferramentas, com o uso de contraste, conforme mostrado na figura três e quatro e isto garante a segurança do procedimento. Apenas com anestesia local e sedação superficial, evitamos a necessidade de abordagens anestésicas mais agressivas, o que traz ainda mais segurança ao procedimento e altas precoces. Em alguns casos, permite inclusive alta médica no mesmo dia do procedimento.

Dr. André Evaristo Marcondes

Mas, ressalto que esse tipo de abordagem é indicada para pessoas jovens, em estágio bem inicial da discopatia degenerativa discal, em especial em protusões (abaulamentos) tanto centrais quanto foraminais, com a presença ou não de compressão de raiz. Ou seja, está indicado para casos de desgaste do disco, com ou sem compressão de estrutura neurológica, mas que causem dor em pacientes jovens, por um período maior do que seis semanas e após a falha de outros tipos de tratamento conservadores.

Já nas figuras cinco e seis é um exemplo da simplicidade do procedimento e a mínima incisão necessária para a introdução da cânula, sendo visualizado o aparelho responsável por absorver a parte interna do disco [o núcleo pulposo], diminuindo assim o abaulamento e, em especial, retirando a pressão intradiscal.

Tudo isso trará alívio dos sintomas, podendo ser observado o resultado final do procedimento com 90 dias de pós-operatório.

Dr. André Evaristo Marcondes

Outro ponto importante a ser citado é que esta técnica tem uma característica especial e encantadora: ao se retirar parte do núcleo pulposo e diminuir a pressão intradiscal, em muitos casos, permitimos a melhora da difusão entre a placa terminal e o disco. Isso quer dizer que permitimos a melhora da nutrição do disco intervertebral. Em alguns pacientes, a recuperação da degeneração desse disco pode ser observada a longo prazo.

Chamo atenção para o fato de que esse procedimento tem indicação restrita, para pacientes selecionados, não sendo abordagem padrão para todos, mas instituindo importante instrumento terapêutico para o grupo daqueles que são selecionados.

Ressalto ainda a importância do diagnóstico precoce, pois é esse que permite abordagens menos invasivas e, em muitos casos, a cura total dos pacientes.

Aos que buscarem mais informações ou precisarem de ajuda, estamos disponíveis para todos, no Núcleo de Medicina Avançada do Hospital Sírio Libanês.

Grande abraço,


Dr. André Evaristo Marcondes

Atendimento presencial e à distancia